segunda-feira, novembro 29, 2004

Ela deixava esturricar a comida

Vejam esta notícia publicada no Público: http://jornal.publico.pt/publico/2004/11/24/Sociedade/S05.html

Os juizes do Supremo Tribunal reduziram a sentença de um homem que foi considerado culpado de matar a mulher porque, segundo diz no acordão, ela "deixou algumas vezes esturricar a comida que confeccionava; chegou a sair e a chegar a casa de noite; ia tomar café a um estabelecimento de cafetaria e não deu conhecimento ao arguido de uma deslocação; chegou a mostrar a barriga quando se encontrava junto de pessoas amigas e se falava da condição física de cada uma delas".

Acho que não é preciso ser feminista para ficar chocado.

Atenção que existem outros factores na história, por isso acho que vale a pena ler a noticia toda (aliás, eu gostava de ler o acordão, mas acho que não está online)

Um abraço

PS: Já alguém pensou que se de cada vez que o tribunal de instância superior modificasse a decisão do tribunal de menor instância, o juiz do tribunal de menor instância deveria poder ser processado por isso. É que basicamente é isso que fazem aos médicos (sendo que os médicos não têm uns meses para decidir, nem têm Agosto todo livre).

Comentários:

ora, ora... deixar esturricar a comida!!!Isso é imperdoável e merece pena capital. Ele há cada juíz... Os 3 meses de férias devem-lhes estar a dar a volta à cabecinha. Mas fossem médicos já estaria aí a "boca rota" da TVI a dizer que todos os médicos deviam ser punidos porque são imcompetentes e não dão parte do seu ordenado para ajudar os pobrezinhos que a TVI descobre no "Portugal profundo"  

Por vezes ainda nos conseguem surpreender, digo eu. Tenho que ter mais cuidado na cozinha não vá o diabo tecê-las ...  
Enviar um comentário

«Inicial