quinta-feira, dezembro 02, 2004

O Paradigma do Tapulho

Prólogo:
# Schrodinger não refere se as cápsulas são de gastro e enteroresistentes, ou de libertação prolongada.
# Schrodinger não faz qualquer referência à dose de cianeto presente nas cápsulas.
# O gato poderá estar entre a vida e a morte, com doses homeopáticas de cianeto.
# O gato poderá, de facto, estar a agonizar, por estar a abafar dentro de uma gaiola tapada.
# Um pássaro seria um animal bastante mais convencional para matar dentro de uma gaiola.

Ao princípio de Schrodinger contraponho o Paradigma do Tapulho:
Suponhamos que entramos num WC público onde (para além da quantidade estritamente necessária à subsequente higiene das partes pudendas) dispomos apenas de uns exíguos 40cm efectivos de papel higiénico excedente.
Que fazer?
a) Repartir o papel em 3 porções idênticas e distribuí-las sobre o tampo da sanita, por forma a minorar o contacto directo com a bicheza autóctone?
b) Fazer um tapulho compacto com o papel e dispô-lo no fundo do vaso sanitário, de modo a prevenir o salpico resultante do impacto da feze formada?

Ora a mim parece-me que o Cenoura resolveu este enigma secular e imperscrutável:
É que a sanita já está tão cheia de ***** que mais vale resguardar as mãos com o papel e começar por puxar o autoclismo!

Epílogo:
***** = Etc
* O ministro que queria ser adjunto
* O caso Marcelo
* A lei do arrendamento urbano
* A legislação laboral
* As portagens das SCUTS
* As taxas moderadoras da saúde
* O vale-cirurgia e as listas de espera
* O SNS quatro-cem-a-cem
* A RTP quatro-cem-a-cem
* A cimeira dos Açores
* Os submarinos para combater incêndios
* Canhas a concelho
* O PM que foi para a Europa
* O PM Kapital
* A filha universitária do Ministro
* O Ministro da Moderna
* A coligação descoligada
* A coordenação do executivo
* O controle do déficit
***** …


Comentários:

Solução para o Paradigma do Tapulho:
-
-
-
-
-
- Apertar o dito cujo e esperar até chegar a um WC privado...

Quanto ao *****:
* O ministro que queria ser adjunto provou que merecia ser adjunto
* O caso Marcelo foi uma cartolada política... do próprio Marcelo, ou alguém no seu perfeito juízo acha que a TVI (a TV mais anti-governamental que existe) anda a reboque do que diz um ministro?
* A lei do arrendamento urbano vem com 20 anos de atraso. Provavelmente a única salvação para os centros (ditos históricos) das nossas cidades e para combater as deficientes condições de muitas habitações.
* A legislação laboral que vem permitir uma flexibilização e dar competitividade às empresas portuguesas comparativamente às do resto da Europa (já para não falar do resto do mundo) - mais vale um pássaro na mão do que 2 a voar, ou seja - mais vale um emprego com menos regalias do que um desemprego (se bem que muitos preferem o desemprego, porque é mais cómodo)
* As portagens das SCUTS, quer se queira quer não, as SCUTS têm que ser pagas, resta saber se por quem as usa, ou por todos nós. O OE não é elástico. Por essa ordem de ideias, tb não quero pagar portagens nas auto-estradas.
* As taxas moderadoras da saúde ainda não foram apresentadas. Ninguém sabe como são, mas o princípio à partida favorece os mais desprotegidos. Quem se lixa é o bivalve...
* O vale-cirurgia permite, de facto melhorar as listas de espera. Pode não ser a melhor opção, mas é melhor do que o que estava antes.
* A cimeira dos Açores permitiu a Portugal uma aproximação atlântica aos EUA e GB. Quando o eixo franco-alemão precisar de ajuda dos EUA para lutar contra o terrorismo dentro de portas, a ver vamos se a vão ter...
* Os submarinos são necessários para o patrulhamento das águas territoriais. Além do mais, era um negócio já do tempo rosa. A questão dos incêndios não tem nada a ver com isto, se não, tb podias dizer o "ordenado dos funcionários públicos para apagar incêndios" - demagogia.
* Canas a concelho - facto político criado pelo cenoura, que ainda não conseguiu convencer ninguém porque é a Trofa pode ser concelho e Canas não.
* O PM que foi para a Europa - e bem. O lugar internacionalmente mais prestigiante ocupado por um português desde que Pedro Hispano foi papa.
* O PM da Kapital - pode não ter "pose" de estado, mas o que é certo é que não o vi fazer "erros grosseiros".
* A filha universitária do ministro - se o pai não fosse ministro, tinha entrado para a Universidade. Como era, teve que sair. Ministro "errou" - ministro demitiu-se.
* O ministro da Moderna - nada provado em tribunal. Tanto quanto defende o Paulo Pedroso, todos são inocentes até prova em contrário.
* A coligação "descoligada" nunca deu sinais disso.
* O controle do "déficit" estava a ser difícil mas conseguido - engenharia finaceira? Claro que sim. Melhor do que no tempo da rosa? OBVIAMENTE que sim.

É óbvio que não foi perfeito, mas sejamos coerentes e que a nossa memória dure mais do que 1 ano...

Valha-nos o Professor...  
Enviar um comentário

«Inicial