domingo, janeiro 09, 2005

Opções políticas

As eleições aproximam-se. Ainda nenhum partido explicou claramente que projectos pretende defender. Será que algum dirá:
-aos milhares de professores que concorrem todos os anos que uma parte deles passará a fixos numa escola e que os outros terão de encontrar outra profissão?
-aos funcionários públicos que a sua actuação será avaliada por resultados e não pelo nº de horas que estão no emprego e as remunerações serão ajustadas a tal ?
- que os casais homossexuais devem ter todos os mesmos direitos legais que os heterossexuais?
- aos donos das farmácias que a sua percentagem do preço dos medicamentos será reduzida?
- aos desempregados que quem não aceitar um trabalho mesmo que seja fora da sua área de habilitações não recebe mais subsídio?
- aos directores de serviço dos hospitais que são responsáveis pela produtividade dos serviços e que estes têm que render o mesmo que as clinicas privadas com os mesmos trabalhadores rendem, ou serão demitidos?
- que a justiça tem que ser mais célere (esta não sei como; se calhar ajudava se os tribunais funcionassem durante Agosto) ?
- que os cursos sem saídas profissionais devem ser fechados e que os alunos que forem para esses cursos na privada deverão ser avisados que o seu destino provável é o desemprego ou o trabalho noutra área?
- que o nº de agentes fiscais será aumentado passando estes novos a receber 2% dos impostos não declarados que arrecadarem?
- que as universidades não devem ter vários departamentos da mesma área em faculdades diferentes e que na mesma cidade não podem haver 2 universidades públicas?
- que quando houver uma troca comercial, se não for passada uma factura, ambos os agentes dessa troca serão multados?
- que o estado só comparticipa um medicamento por substância activa (o mais barato)?
- que as empresas que persistentemente não dão lucro serão fechadas?
- que as drogas leves e a prostituição devem ser liberalizadas com regras e que todos os toxicodependentes têm direito a apoio eficaz do estado para o deixarem de ser?
- que falta espírito empreendedor aos portugueses que preferem em geral o trabalhinho com demasiadas regalias na função pública?
- que os clubes de futebol vão deixar de receber apoio do estado e das autarquias, por vias directas ou indirectas, excepto em relação à formação dos jovens?
- que os artistas de todas as artes (teatro, música, dança, cinema, ...) deixarão de ser apoiados (excepto na formação de jovens e transmissão da cultura nacional) e que só sobreviverão os espectáculos que agradarem ao público?
- que é necessário criar uma nova organização internacional democrática, sem concelho de segurança, e que as decisões dessa organização serão respeitadas?
- que todas as taxas aduaneiras serão abolidas com todos os países que tb assim aceitarem e que a agricultura deixará de ser parcialmente subsidiada pelo estado?
- que os militares serão reduzidos a pequenas forças profissionais, treinadas para integrar missões internacionais de defesa ou acção humanitária?
- que os emigrantes merecem apoio para a sua integração e que o estado velará para que deixem de ser explorados?
- que o salário dos governantes tem de ser aumentado, mas que todas as recompensas indirectas serão eliminadas?

Mais deverão eles dizer. Acrescentem o que se lembrarem, critiquem o que não concordarem, mas percam algum tempo a refletirem e discutirem (aqui por exemplo) a vossa posição.

Comentários:

Onde é que se assina?  

Prontos! Também quero assinar!
Só não concordo totalmente com um item, mas um em tantos.... nada mau! É que, se a arte e cultura ficarem única e exclusivamente dependentes da resposta positiva do público, 'tamos muito mal... Basta ver, por exemplo, os filmes mais vistos no cinema, e os programas de Tv que conseguem ser cada vez piores (até quando pensamos que isso já não é possível!)Por outro lado, não há pachorra para «Brancas de Neve»!  

Um excelente programa feito por alguém que sabe que não terá a responsabilidade de o aplicar. Por isso pode prometer tudo.
Eu cá contantava-me apenas se os políticos tivessesm espírito de missão e fossem para governar o país e não se governarem a si próprios. (Desculpem os lugares comuns, mas estou fartinho dos tipos!!!)  
Enviar um comentário

«Inicial