sexta-feira, fevereiro 18, 2005

Será que vamos deixar de poder receitar o medicamento pela marca?

Está em fase de consulta pública o novo Estatuto do Medicamento (podem enviar sugestões de alteração). A Secção Norte da OM já se pronunciou. Inclui transposição de normas comunitárias, disposições legais para a introdução de novos medicamentos, questões sobre a rotulagem, etc. Lendo de cruz fiquei a saber que nalguns casos os genéricos não precisam dos tão falados estudos de bioequivalência; vai passar a haver um Conselho Nacional de Publicidade de Medicamentos; para além dos medicamentos homeopáticos tb há "Medicamentos à Base de Plantas".
O artigo da polémica acho que é o 78º (pág. 48). Pela minha interpretação só entre os medicamentos genéricos é que o médico não pode escolher, mas pode continuar a receitar os de marca. Digam de vossa justiça.


Comentários:

Tã Bém foi transcrito para a legislação portuguesa a comunitária sobre Radiações Ionizantes há cerca de 2 anos, e ???
Os CDPs tinham que fechar as micros porque não têm radiologista; a maioria dos serviços de radiologia do estado e privados tinham que fechar por incumprimento das regras lá impostas; a todos os doentes que fizessem um RX era obrigatório uma declaração de aceitação de riscos; e entregar-lhe um documento com as doses recebida ( e nas TAC elas são tão diminutas!!!!!; etc, etc!!!!  

Por acaso concordo que idealmente o médico deveria receitar por princípio activo, desde que assegurada a equivalência clínica dos princípios activos. Mas em última análise, quem deveria escolher a marca do medicamento deveria ser o doente (aconselhado ou não pelo médico), desde que o Estado pague sempre o mesmo, para cada princípio activo.

Medicamentos homeopáticos??? Essa deve ser para rir... Que os queiram vender, vá lá que não vá, agora chamar-lhes medicamentos é o cúmulo!!!
Os medicamentos à base de plantas, também é uma operação de cosmética aos produtos naturais, mas enfim... mais uma pérola do INFARMED.

Já agora, é triste a TSF colocar uma notícia onde troca o nome ao Presidente do CRNOM...  
Enviar um comentário

«Inicial