terça-feira, abril 12, 2005

Quando a culpa é mesmo do médico

Sem conhecer bem a história, esta médica foi condenada em tribunal e por isso pressuponho que tenha tido culpa. Acho engraçado o facto do tribunal não a deixar praticar medicina no SNS durante um ano, mas deixá-la "fazer privada".

Comentários:

Apesar de não ser conhecedor da legislação em questão, quanto à não proibição do exercício da medicina na esfera privada, o que pode acontecer é essa mesma proibição apenas ser possível à Ordem dos Médicos. Por exemplo, só a Ordem dos Advogados pode proibir um advogado de exercer.  

Quer um médico , quer um Advogado , desde que processados pela via legal normal , podem-lhe ser retiradas as credenciasi de exercicio. o que as ordens podem tambem fazer perante queixa e castigar por processo disciplinar .

JA regressei as minhas lides , fui operada ao apendice dai a minha ausencia , agora estou mais habilitada a discutir determimadas performances hehehe
Achei piada que o hospital , parecia mais espanhol que Portugues , o que uns tem de profissional os outros tem de mal criados , no geral a apreciação e boa , o lado humano nunca foi posto de lado ... antes pelo contrario o anestesista " o olhos" como lhe chamei quando acordei foi incansavel em tranquilizar-me perante o meus medos e receios ...
Defendia a especilidade de Medecina interna,mas tenho de louvar a cirurgia , pois o medico ia mandar-me embora , bem ditas maso de cirurgião que sabem fazer o apendice doer ...  

Desculpem os erros , mas acho que estou com falta de memoria , e faço umas coisas trocados ... Agora tb vos posso compreender, desgraçados do internistas , trabalham que nem uns desgraçados , havia la um medico que esteve quase tanto no hospital como eu que estava internada...  

Sejas bem-regressada viúva negra. Espero que a "estadia" no hospital tenha servido para perceberes um bocadinho melhor do que é o mundo da medicina por dentro, e para ajudares a passar a ideia, tantas vezes esquecida que a generalidade dos profissionais de saúde são pessoas sérias e competentes (embora como em tudo haja excepções, que neste caso são sempre mais do que as desejáveis).

Quanto ao caso, acho é inadmissível que a médica só tenha sido condenada 9 anos após o incidente. Vai agora ser suspensa de exercer medicina, enquanto nos últimos nove anos, pôde exercer livremente? Se tinha de cometer mais erros grosseiros, já os cometeu. Na minha opinião, a pena deve ser apenas sob o ponto de vista criminal e não profissional. Também é uma vergonha que a Ordem dos Médicos não tenha ainda "julgado" este caso e só agora o vá fazer!

Conforme já te disse hoje, penso que a única entidade que pode inibir a prática da medicina é a Ordem dos Médicos e como tal, o tribunal não o poderia fazer.

Há que julgar os culpados, quando é caso disso, castigá-los pelos seus crimes, quando é caso disso, mas nunca esperar 9 anos para que se faça justiça.  

Em relação à Ordem dos Médicos, apesar de continuar a pensar que só a mesma pode impedir um médico de exercer na "esfera prvada", não me quero pronunciar.
Quanto à Ordem dos Advogados, e como sou advogado, tenho a certeza que só a minha ordem me pode impor tal sanção. Pese embora a certeza inabalável de Viúva Negra.
Os melhores cumprimentos.  

O mais incrivel disto tudo, é que a forma como este assunto veio à baila, deu a entender ao público em geral que se tratava de um assunto de ontem. Afinal já tem metade dos dentes definitivos...
E um ano sem suspensão, e continua a exercer na privada? Oxalá não se lembre de receitar Mioflex outra vez, é que nem todos temos endotraqueais e laringoscópios na mala...  
Enviar um comentário

«Inicial