quinta-feira, novembro 24, 2005

Uma cura para África

Comentários:

Jovem colega:
Velho médico, apelo para que o bom senso que evidencia noutras zonas do seu blog, modere o seu radicalismo nesta falsa opção entre morrer de fome ou de malária.
Não lhe parece que o combate à fome no terceiro mundo é independente da igualmente necessária profilaxia do paludismo?  

Velho Medico, sabe para onde vai o dinheiro que se da para ajudar os paises pobres? Vai para os politicos corruptos desses paises comprarem jactos particulares e coisas afins. O povo nao ve nada. A fome passa-a na mesma... Se tiver que morrer, morre. Esses paises estao nessas situacoes porque? Porque os seus governantes estao mais interessados no seu umbigo que no pais.
De um nao medico  

Não era mal pensado!  

Caro anónimo, você infelizmente tem razão. Mobotu deixou enorme descendência e pior que os luxuosos jatos privados e as contas na Suiça e nos off-shores é o aproveitamento das ajudas para a compra de armamento. E a conclusão leva-nos a uma alternativa: ou aqueles países não estavam preparados para a independência (tese politicamente incorrecta) ou a culpa é do colonialismo ("correcta", e filha do masoquismo ocodental)
Quanto à vacina da malária, deixemos isso a cargo da rica indústria farmacêutica, pois será certamente um negócio chorudo. E infelizmente quase todo o progresso que tem havido nessa área tem nascido da iniciativa (interesseira mas útil) das multinacionais e não das instituições estatais  

o problema é que não é negócio chorudo, a não ser quando a dita regressar ao velho ocntinente  

Se calhar era uma medida mais eficaz...

Se a vacina fosse distribuida por esses povos gratuitamente...


Bjks da Matilde  
Enviar um comentário

«Inicial