sexta-feira, setembro 30, 2005

ufa...

2ª das 8 às 16 para almoçar...
3ª das 8 às 18 no bloco,
4ª das 8 às 17 no bloco e das 17 às 19 na enfermaria...
5ª das 8 às 13 no bloco e permanência até às 20,
6ª a tentar perceber o que se passa com os doentes até às 17...
e amanhã estou de Urgência das 20 às 8... lá se foi o fim-de-semana!

E ainda há quem diga que os médicos trabalham pouco... Esta semana foram "só" 60 horas, fora as "tentativas de estudar"...e escusado será dizer que só me pagam 42... e que o Sr. Ministro se queixa que se pagam muitas horas extraordinárias aos médicos!

Vou dormir...

Comentários:

Sonhos côr-de-rosa...

Abraço da Zona Franca  

É aguentar meu caro!
Esta foi só a 1ª das 312 semanas que tem pela frente! E isto se só contar com o Int Compl...  

Já te cravaram para residências ?  

"só" lá para o meio do mês...  
Enviar um comentário

«Inicial

domingo, setembro 25, 2005


Christiania - uma experi�ncia social na periferia de Copenhaga.
Na d�cada de 70 um grupo de hippies, artistas e activistas pol�ticos ocupou edif�cios abandonados nesta zona da cidade e decidiu criar uma nova sociedade, dirigida por e para a comunidade. Neste ghetto alternativo modificado por v�rias migra��es, existem: assembleias �municipais� onde todos os problemas s�o discutidos � exaust�o, um circo permanente, um sistema educativo pr�prio, um forte sentido de comunidade e bastante droga. Um para�so que nos mostra que existem alternativas a uma sociedade materialista ou um territ�rio an�rquico que deveria ser demolido para permitir a utiliza��o destes agora car�ssimos terrenos pelos seus donos leg�timos?

Comentários:

Até deve parecer o filme A Vila do Shyamalan...

Abraços da Zona Franca  
Enviar um comentário

«Inicial

sexta-feira, setembro 23, 2005

Fim...

Não, não é o fim do blog... para já!!!

O Internato Geral está a terminar... e para sempre. São estes os últimos dias do Internato Geral, que não será mais realizado por nenhum jovem médico. Agora chama-se Ano Comum e de 18 passou para 12 meses, antes de iniciar a formação de "especialidade".

Foram 18 meses (na verdade 21, devido ao "prolongamento") na sua maioria produtivos e nos quais aprendi muito. Essencialmente a nível de atitude e responsabilidade. Aprendi que a Medicina não é só o que vem nos livros, não é só a evidência científica... A Medicina são as pessoas, os que sofrem, os que lutam dia-a-dia contra a morte, os que aprendem a valorizar a vida e a saúde... E é por estes que vale a pena tanto esforço... Tantas horas de trabalho, tantas "urgências" intermináveis, tantas faltas de respeito e educação, tantas críticas infundadas, tantos insultos e descontentamento, por parte da população menos "dotada" culturalmente (e não falo de inteligência, nem de sabedoria, nem de classes sociais... falo apenas de educação...).

E é também por tudo isto que vale a pena aturar as "imbecilidades" do Ministério da Saúde. Como se já não chegasse estarmos num período de transição da formação Médica pós-graduada (decidida corajosamente pelo Governo anterior, depois de cerca de 20 anos de comissões e grupos de reflexão e que, na minha opinião peca apenas por ser pouco radical - mas talvez fale disso num outro dia...), somos confrontados com a mais absoluta "incompetência" (e isto apenas para não acusar alguém de propositadamente favorecer uns em detrimento de outros...) do Ministério da Saúde.
O exame que decide toda a vida de um médico, foi marcado tarde e a más horas (com menos de 3 meses de antecedência, quando o "período mínimo de estudo são 6 meses), o mapa de vagas publicado era uma anedota (de mau gosto), com uma clara assimetria nacional a favor das vagas do "sul" (leia-se Lisboa e Vale do Tejo), esta anedota foi ainda transformada em "pesadelo" com alterações (para pior obviamente, com a retirada de vagas de especialidades muito desejadas), a uns escassos 3 dias úteis da data de escolha de vaga.
E ainda por cima, é suposto começarmos o internato de especialidade na próxima segunda-feira, mas ainda não foi publicado o mapa de colocação definitiva e ainda não nos foi comunicado absolutamente nada acerca do inicío do Internato Complementar... Enfim, ou a incompetência é muita, ou existem interesses obscuros e tentativas de ocultação de "fraudes"... apesar de tudo, prefiro acreditar na 1ª hipótese...

Quanto ao meu "último dia" como Interno Geral: serviço às 08h, visita aos doentes até às 09h, duas altas; às 10h no bloco. Até às 13.30' três cirurgias, com o tempo cirúrgico total de 40 minutos... o resto passado a preenhcer papeis e a esperar que as salas de bloco ficassem prontas para receber novos doentes. Às 13.45' colocar catéter central num doente que o tinha arrancado durante a noite. Introdução complicada (mesmo para o Especialista que o acabou por colocar), até às 14h30. Re-internamento de uma das altas por evisceração (saída para o exterior do conteúdo da cavidade abdominal) após ter retirado os pontos. Ajudar a encerrar a parede... Lá pelas 15h30 preencher a papelada do re-internamento. Às 16h carregar aí uns 15kg de processos clínicos para rever no fim-de-semana e finalmente sair para almoçar... E só me dizem que daqui para a frente vai ser pior...
O que vale é que desta vez, tenho o fim-de-semana livre... e fui dos últimos dos internos gerais...

Comentários:

Este país é realmente uma maravilha nessas coisas! Vou agora para o primeiro ano de Medicina (finalmente) e ainda tenho a vaga e ingénua esperança de que quando chegar a minha vez, as coisas estejam mais ou menos organizadas (já nem digo bem organizadas porque enfim, isto é Portugal).
Gosto das coisas que escreves e espero que continues a contar muitas coisas porque adoro ler este blog!
Boa sorte nesta profissão e em tudo o que ela te vai trazer!

Beijinhos  

Felicidades para a nova etapa e já agora até já podiam escrever mais, principalmente o Desterrado de Lamego!!!
Sim, o McCap que gasta o tempo todo num jogo qualquer Warcraft não sei das quantas...

Abraço da Zona Franca  

Bem, tou a ver que foi um ano duro... Realmente, tudo isso se deve a falta de educação e de respeito pelo trabalho das pessoas. Depois queixam-se de falta de médicos. Contudo, espero que os fins justifiquem os meios, e que todas esta fase menos boa se traduza em anos e anos de um óptimo trabalho, com muitas e boas recompensas!
Continuação de um bom trabalho, e bom fim-de-semana de descanso!

*Beiju*  

Estás com sorte que eu no Domingo ainda vou fazer urgência já que ninguém me soube dizer se a tinha que a fazer ou não.
Em relação ao IG, com todos os problemas que tem, permitiu-me pelo menos integrar a verdadeira medicina, e me tornar, agora sim, num "Médico".
Um abraço  

Adeus VELHO, bem vindo  

O curso de medicina ainda não está pronto para que os que o acabam exerçam autonomamente a profissão. No entanto é importante adaptarmo-nos ao que se passa fora das nossas fronteiras, e o fim do IG vai de encontro com essa necessidade mas tem que ter outros suportes que ainda não existem (leia-se mais prática dos alunos).

Em termos de má educação os piores são mesmo os do ministério da saúde que ainda não conseguem abrir os olhos e ver que a falta de médicos é virtual. Devido a esta ceguira, continuam-se a atolar faculdades com caloiros e a degradar a formação. Como se não fosse suficiente esquecem o país (como nos restantes temas políticos) para se produzir para lisboa. Por isso começo a ficar cansado de viver em Portugal e de ser português (por muito que me custe abandonar a minha pátria). Sei que pareço fraco ao dizer isto e que deveria lutar pelo contrário, mas já me sinto muito cansado de estar a remar contra a maré...
É pena só haver um Pinto da Costa, com dois ou três podiamos endireitar o país.  
Enviar um comentário

«Inicial

domingo, setembro 18, 2005

18 Setembro 1979

Neste dia nascia a pessoa que ilumina os meus dias e que me mostrou o significado de felicidade...

PARABÉNS e obrigado por existires e partilhares comigo a pessoa fantástica que és...

Comentários:

Yeah!!!Happy Birthday!!!  

Parabéns. Eu estive para fora e por isso tenho desculpa.  

Parabéns ! Und so weiter !  
Enviar um comentário

«Inicial

sábado, setembro 10, 2005

Crackle the fireworks



Já tomei a decisão do que vou fazer para a vida... A partir de Outubro vou iniciar o Internato de Cirurgia Geral. As histórias médicas deste espaço, passarão portanto a conter "imagens" eventualmente chocantes. Histórias de corte e costura, dramas, tragédias e algumas alegrias.
Escolhi a especialidade que me completa. Permite-me fazer a Cirurgia de que sempre gostei e o tratamento "geral" dos doentes, que aprendi a gostar. A ideia de uma sub-especialidade cirúrgica, fica para já adiada sine dia. Continuarei por cá (e pela Cirurgia Geral) enquanto me sentir satisfeito com isso.

Obrigado a todos os que têm "partilhado" deste ecrã!!!

Comentários:

Parabéns tripeiro pela entrada para CG e já agora para a tripeira também ;)

Um dia destes, junto-me ao grupo.
Abraço  

Ora então muitos parabéns!!!!
Por estas bandas o martírio acentua-se...
Abraços!!  

Felicidades para a sua escolha.

Espero que se lembre que o Cirurgião Gerla também deve ver e tratar doentes que não precisam de cirurgia.

Caso contrário corre-se o risco de ser só "operador"...  

Que corra tudo bem então...

Abraços da Zona Franca  

obrigado pelos "votos"... e avicena: espero também não me esquecer disso :))  

Bem, passarei por cá mais vezes para ver se, de uma vez por toda, me inicio nos mistérios insondáveis do pensamento médico.  

Boa sorte ! Escolheste foi um hospital mal servido de medicina interna...  

Oi! Parabéns! Acabaste de cumprir um sonho q é o meu... É o que mais desejo, poder ser Cirurgião Geral. Vou agora (em Janeiro) iniciar o ano comum, e espero conseguir entrar. Em q hospital escolheste? Depois posso-te pedir dicas? Obrigado.  

Parabéns pela escolha :-)  

Calculo que seja uma boa opção, e acho que vai gostar muito, pelo entusiasmo com que fala!
desejo-lhe um óptimo trabalho, e passarei por cá para ver essas imagens do "corte e costura"!!

*Beiju*  
Enviar um comentário

«Inicial

O Douro Vinhateiro


... é sempre um bom retiro!!!Posted by Picasa

Comentários:

Liiiiiinnndooooo!!!!!! Como só o Douro...
Tripeira ;)  

liiiiiido!!!!! os montes pintados,o cheiro da terra,e amanha.....as vindimas!!i love it.  
Enviar um comentário

«Inicial

quinta-feira, setembro 08, 2005

Quanto vale a responsabilidade?

Terminado o meu Internato Geral em Julho de 2005, eis que iniciei o chamado "prolongamento" como Médico Eventual (não eventualmente médico mas médico, eventualmente na carreira), antes de iniciar (algures no final deste mês???) o internato da especialidade.
Nesta nova categoria profissional, além de mais trabalho (eis porque tenho andado mais afastado destas lides...) ganhei também uma nova responsabilidade - a de médico com "capacidade" para exercer medicina autonomamente. Quer isto dizer que, médico, com capacidade e autonomia para tomar decisões clínicas, simplesmente, não especialista.


Ora, com o aumento da responsabilidade (até então só podia exercer "medicina tutelada"), veio o inevitável "aumento" no ordenado de funcionário público (urghhh ainda não me consegui habituar ao facto de ser um deles) que ascende à fabulosa quantia de... 60€, o que, descontanto o respectio aumento nos impostos e contribuições sociais, dá a bela maquia de... 30€... Trinta euros, seis contos, é o que vale a responsabilidade neste país... Tanto, que só reparei nele hoje, ao conversar com outro colega...


Ou sejaq, já não chegava o facto de ter sido um dos últimos Internos Gerais, a coabitar com os IAC's (Internos do Ano Comum), que recebem no final do mês, cerca de 30% mais do que eu, agora atiram-me com as "responsabilidades" para cima e pagam-me mais 30 euros... É por isso que nesta terra o que está a dar é ser irresponsável!!!

Comentários:

Sejas bem vindo.
Concordo com a tua questão de fundo. A partir do fim do internato geral podemos dar altas, prescrever ( e eu já tive que fazer ambas, muitas vezes na urgência), enfim fazer tudo o que tem responsabilidade e tal é recompensado com um mísero aumento. Não admira que ninguém queira parar nesta fase e todos queiramos uma especialidade (tb por outros motivos)

E sabias que depois deste mes em que passas a ser interno complementar vais ganhar tanto como os IACs  

Doutor
Só não disse quanto era o seu vencimento agora depois do internato.Pode e devia dize-lo pois é publico,só assim as pessoas podem perceber muita coisa.
Já agora e quanto ganha um especialista mal disposto que está nas urgênçias ao fim de semana e não queria lá estar?
um abraço e felicidades para a sua carreira  

Para o tripeiro:

Pois se eu não tivesse já passado pelo mesmo até era capaz de me comover. Ainda deve estar a fazer o dito"prolongamento" num serviço onde há especialistas e internos de especialidade, pelo que acredito nas altas mas só na urgência e mesmo essas, em caso de dúvida, provavelmente após discreta conferência com especialista ou afim.

Boa sorte na escolha.

quanto ao ou à anónima:

Para especialista (após 6 anos de Faculdade + 2 anos de Internato Geral + 5 a 6 anos de Especialidade + > 10 anos de actividade clínica): em 35 horas tempo completo no 1º escalão são 1712 euros e 87 cêntimos "salário bruto", ou seja cerca de 1200 euros após descontos ou se preferir 7,7 euros /hora de trabalho. De facto uma fortuna!

Para interno, tempo completo 42 horas, no 1º escalão: 1695,74 euros "salário bruto". Mais uma pequena fortuna.

Com os melhores cumprimentos  

Realmente é verdade! O que está a dar é ser irresponsável! Bem visto!

Abraço,
MrX  

Avicena:

Penso que as pessoas não têm noção que o dinheiro que um médico pode obter e se traduz no montante satisfatório que o anónimo estava concerteza a pensar, não se obtém a trabalhar para o estado, mas sim em consultas privadas.

E como tenho um médico (assistente graduado) cá em casa, que ganha do estado pouco mais que uma professora (créditos à prof que ganha bem por ser gestora), vou sabendo do que falo.

E não esquecer que os escalões vão aumentando assim como o salário. Há quem comece com salários mais baixos.

Boa sorte para as carreiras:)  

Taina:

Se conhece a situação também sabe que para obter o tal montante satisfatório (e não se está a falar de montantes milionários), salvo cada vez mais raras excepções, muito há que sacrificar em termos pessoais e familiares.

Claro que um especialista pode cobrar por uma consulta particular até 75 euros (se for 1ª consulta), mas são cada vez menos aqueles que podem pagar esta quantia!
Ah! Mas há os seguros!
Pois mas, como também deve saber, pela mesma consulta o seguro paga ao médico cerca de 10 euros.

E claro que existe quem comece com salários mais baixos. Até existe quem não tenha emprego! Mas a questão fundamental é que existe o preconceito que os médicos são todos multimilionários (ou quase!) sem nenhum esforço! E é este facto que pretendo salientar não se tratando de cantar aqui o fado do desgraçadinho!

E já agora:
Quanto ganha um quadro superior de uma empresa pública? (com horário das 9h às 17h e todos os fins-de-semana livres?)


Obrigado e igualmente  

é o que é ser médico (é ser responsável quase de borla). se vires bem a profissão é toda ela cheia de responsabilidades, tanto que se fizeres asneira é logo processado (isto já é coisa de TVI e tempos modernos). agora se falarmos de um carteiro, que não tem qualquer curso superior, não tem responsabilidades e se não entregar as cartas também nada lhe acontece (já não há processos) e ainda por cima os correios inventaram um novo serviço em que até lhes dá mais lucro (1€) os carteiros não entregarem as cartas.
isto são só exemplos mas há piores: os jogadores de futebol ganham milhoes e se falham golos de baliza aberta ou defesas como o ricardo também nada lhe sucede. são responsabilidades diferentes, mas neste país mais vale ser incompetente e ignorante do que passar uma vida inteira a estudar e ter muita responsabilidade porque a única coisa que se ganha é trabalho e mais trabalho e não euros e mais euros.  

Bom dia,peço desculpa por deixar o post como anónimo mas não percebi bem como colocá-lo.Sou Luis Oliveira ,39, e sou quadro da da maior empresa petrolifera portuguesa.
Vivi,estudei e trabalhei no estranjeiro e conheço muitos paises e sociedades.Tenho amigos médicos e alem disso como inerente a nossa vida, temos experiênçias e vivênçias com a saude e com os seus profissionais.
Nesta altura na verdade a unica coisa que resta aos médicos é o estatuto mas que se vai perdendo devido aos maus exemplos de alguns.
Concordo com quase tudo o que diz e acho escandaloso a retribuição,até mesmo vergonhoso.
Sei que provavelmente a vossa profissão é das mais dificeis de todas,não tenho duvidas.
Espero que seja um bom médico,o que para o ser na minha opinião um dos pontos fulcrais é saber ouvir o doente,o que por cá ainda estamos um pouco atrazados na minha opinião,talvez por falta de conhecer outros mundos e outros saberes.
Já pensou em trabalhar noutros sitios?noutras sociedades?
gosto do seu blog e se permitir vou visita-lo sempre.
felicidades  

Sempre dá para aí para mais um cafézinho por dia...Realmente, ridículo!!!
Mas há uns q n veêm um aumento há uns tempos largos...

Abraço grande e Zona Franca is back... The bar is open!!!  

Francisco: obrigado...

Anónimo: se queres mesmo saber, com 35 horas por semana (assinadas, porque na prática faço mais), incluindo urgências à noite e fim-de-semana, dá qualquer coisa como 860€, mais cerca de 3€ por cada hora nocturna... de facto uma fartura para quem passou os últimos 20 anos a estudar...

Avicena: o facto de haver internos complementares e especialistas (no meu caso) nunca foi motivo para deixar de trabalhar. É óbvio que conferencio com quem tem mais experiência do que eu (e não de forma discreta), mas hás-de dizer-me qual é o médico que não o faz se tiver um colega ao lado a quem pedir opinião. O que é certo é que já dei muitas "altas" e passei muitas receitas e não só na urgência. E já agora a ideia não era ninguém ficar comovido, quando achar que preciso de ganhar mais dinheiro, vou trabalhar para as obras e não me chateio com responsabilidades. Faço o que faço porque gosto e não porque me pagam bem.

MrX: abraço

Taina: a minha pergunta é... quantas horas trabalha a professora??? no máximo são 28 horas por semana, o que para muitos médicos, não chega a dois dias de trabalho...
Obrigado pela boa sorte...

osso: estou basicamente de acordo... remeto para o título deste blog !!! :)

luis: obrigado e bem-vindo. aparece sempre. Quanto ao saber ouvir é verdade. É preciso saber ouvir, mas isso também não chega. Posso-te nomear dezenas de médicos que sabem ouvir muito bem os seus doentes, mas clinicamente fartam-se de "fazer asneiras". Mas o que é certo (e aí tens toda a razão) é que esses nunca são processados, porque infelizmente (ou felizmente, já nem sei, porque se já assim é tão mau...) a maioria dos doentes são ignorantes em termos de saúde e portanto não se apercebem dos erros. Normalmente também são esses que fazem todas as vontades ao doente, a nível de "baixas", receitas e exames, pelo que mesmo não o sendo, são considerados os melhores médicos do mundo. E tenho um exemplo cá em casa: a minha avó diz que o "outro médico é que era bom. Mandou-me fazer tantos exames", apesar de quase todos eles desnecessários e geradores de uma receita incomportável para o SNS.
Sim, já pensei em ir trabalhar para outras sociedades. Infelizmente esses planos não se podem concretizar já, mas acabarão por ser verdade um dia.

Freddy: é... ao preço a que está o café, qualquer dia já nem para isso... :) abraço  

Tripeiro:

A professora em questão não tem horário fixo, uma vez que não dá aulas. É a gestora de uma agrupamento de 13 escolas. Por isso o seu horário é bem superior às 28 horas.
E por ser a responsável pelas mesmas, vê-lhe negado um direito que apesar de tudo os médicos (ou a maioria) ainda possuem: o direito à greve.

Passo a explicar. Se há greve de professores, é ela que tem de estar na escola, abri-la, contabilizar ausências e presenças, assegurar-se que não há alunos sozinhos na escola...etc.


Avicena:

Sim, há que sacrificar muito a vida familiar.
Principalmente um médico com 2940 e tal doentes e que trabalha muito, ainda assim, fora do Posto Médico e SAP.
Não falei em montantes milionários tb. Se assim fosse estaria concerteza em Bora Bora e em frente a este computador:)
Não comparei, também, salários "empresariais" com os de um médico. Mas como em tudo na vida, depende do empresário e do médico:)  

Pois tripeiro, ninguém põe em causa a sua dedicação e vocação. Só gostaria de lembrar que em muitos hospitais e serviços é contra o regulamento altas assinadas por não especialistas. E o hospital onde penso que trabalha não é excepção.

Acho muito bem que não se importe de trabalhar mas na fase de carreira em que está existem decisões e atitudes que não podem, em circunstância alguma, ficar exclusivamente ao seu critério. Se tal acontece então muita coisa está mal...  

Uma vergonha, é o que é. Mas também é o reflexo de uma sociedade em que dar uns pontapes numa bola ao fim de semana vale mais do que salvar vidas...
É por essas e por outras que muitos profissionais (de todas as areas) abandonam o barco (mea culpa!) e preferem trabalhar em condicoes decentes.
Abracicos!  

taina: os médicos que estão de urgência também não podem fazer greve... é uma questão de definição de serviços mínimos :)))

avicena: no hospital onde trabalho, não é obrigatório que as altas sejam assinadas por especialistas. Só têm que ser assinadas por médicos sem restrições à sua prática médica.
Mas o facto de assinar altas (ou passar receitas), não quer dizer que tenha tomado as decisões sozinho (mas para todos os efeitos a "responsabilidade" - pelo menos legal - é de quem assina - minha, neste caso). Mas também acho que num hospital onde há muitos internos complementares e especialistas, as "altas" não devem ficar exclusivamente a cargo de 1 especialista ou de 1 interno... se as equipas de trabalho existem, têm que funcionar para tudo...  

Tripeiro:

Eu sei disso, por isso disse "a maioria".  

Bom dia Sr. Dr.
depois de espreitar seu blog não resisto de lhe dizer o seguinte: Mal estariamos nos se o dinheiro fosse a medida da nossa responsabilidade profissional.
A responsabilidade é um Dever! Tenho dito! De momento. Pois talvez volte.
Lála  

pois. Mas em quase todas as profissões a responsabilidade é remunerada de acordo com aquela que se tem. Mas em medicina não  
Enviar um comentário

«Inicial