sábado, outubro 22, 2005

A Pandemia do Medo

A gripe das aves já detectada há cerca de 2 anos no Sudeste Asiático, matou desde então 60 e poucas pessoas. Só esta informação era suficiente para se saber que não é nenhuma pandemia, mas um vírus que mesmo após a mutação tem uma baixa transmissibilidade já que a maioria dos casos são fatais. É um vírus que afecta as aves (nem nestas será muito transmissível senão seria impossível detectar só alguns caso de patos num país e cisnes noutro) e que muito raramente sofre uma mutação e pode infectar pessoas com um contacto muito directo com as aves (geralmente galinhas). Este contacto directo correspondeu muitas vezes a criadores de aves que as criavam sem qualquer condições de higiene. Já agora é perfeitamente seguro comer carne de aves já que a infecção é só por via respiratória após contacto com as aves vivas.
Será que não aprendemos nada com a famosa pandemia da nova variante de Creutzfeldt-Jakob provocada pelas vacas loucas? Acho que não. Na cultura de medo que actualmente vivemos qualquer histeria vem logo à televisão, como dizer-se que se chegar a Portugal pode matar cerca de 13000 pessoas !!!!???!!! E interessa fomentar este medo porque é um negócio. Um negócio para os media (ajuda à venda de jornais e arranjar audiências), para as autoridades de saúde (que arranjam sempre mais verbas devido a estes casos, das quais estão cronicamente deficitárias) e principalmente para os laboratórios. Também há cerca de 2 anos foi lançado para o mercado um anti-virico destinado a tratar casos de gripe chamado Oseltamivir (Tamiflu® é a única marca comercial) que teve muito baixa aceitação e quase não era usado para tratar os casos de gripe normal (que ainda mata muitos idosos em Portugal). Agora com os países a comprarem directamente quantidades industriais deste medicamento que se acredita tratar a nova gripe se fornecido nas primeiras 48 horas, o laboratório não consegue satisfazer as encomendas.
Também me faz lembrar uma “pandemia” de meningites que curiosamente até foram menos que no ano anterior mas que esgotaram uma vacina para um dos agentes da meningite por terem sido repetidamente relatadas na comunicação social e terem criado o medo generalizado nos pais (situação que vivi bem de perto).
Haja bom senso.

Comentários:

Certo !  

Afinal não sou o único a pensar que os milhões investidos na prevenção da gripe das aves são os milhões que não deveriam ser aumentados ao custo de vida dos portugueses (impostos, bens essenciais, gasolina, etc, etc,...)  

Podes afirmar que não estás contaminado com a nova variante da doença de Creutzfeldt-Jakob? Se souberes como se faz isso, avisa....  

Nem mais... o que é preciso são paragonas de jornais, 6 patos mortos na suécia, 5 galinhas na turquia, 1 papagaio na inglaterra e 1 caso suspeito em vila da feira - q afinal não era!  

A GOLPADA DO SECULO XXI...
Mas que gaita de mundo em que vivemos...
xi
maria  

Os "meus colegas" da Industria farmaceutica adoram estas parengonas... ole se adoram! Eu ando com medo é que o desgracado do virus me ataque o computador...

Abracicos!  

O que é giro é que a influenza aviária é bem mais antiga que isso e sempre circulou na população aviária, sendo os patos o reservatórios natural.
Não interessa também divulgar o facto de ser o porco que pode vir a permitir a "nova variante" que tanto se fala, uma vez que ele é o agente de mistura...

Qt à BSE é tudo mt giro, mas esquecem-se que a doença foi criada pela mão humana...

Haja histerismo em matar tudo qt é população residente de aves, por exemplo, os pombos. Só agora se lembraram que podem servir de vectores da doença (aparentemente nem por isso)...qd se fala em coisas como a leptospirose já não interessa nada....

Apresentam planos de contenção de surtos que são mais velhos que eu, como se fosse uma grande novidade concebida contra este vírus... não são e servem para qs todas as doenças de lista A...

Acho igualmente interessante só se ter ouvido falar um veterinário na quarta feira.. até lá não interessava nada

O pior de tudo... é que muita coisa de diz na tv, nem todas correctas... e infelizmente a maioria do público entende-as como verdades...  

Excelente post!
PS: Linkei-te no meu blog!  

Já agora vejam isto para se rirem um pouco: http://www.inepcia.com/gripedasaves.html  
Enviar um comentário

«Inicial

quarta-feira, outubro 19, 2005

Irresistivel

Não resisto a pôr aqui o link do: Prémio Melhor Publicidade Directa Eleitoral 2005
É melhor rir para não chorar.

Comentários:

Grande cena! Nem dá para comentar...  
Enviar um comentário

«Inicial

Iméne

Descobri ontem que "operei" uma doente do william...

Tinha uma doença no cérebro que lhe comia os blocos vermelhos do sangue. E isso dava-lhe muitas dores de cabeça. Tantas que se punha aos gritos agarrada à cabeça. Que nem os médicos do Iméne a podiam ajudar. Tinham quase que lhe bater para tirar as mãos da cabeça.

Quem lhe valeu foi o william... Que lhe fez um estudo muito grande ao colesterol da cabeça... E agora estava a fazer um tratamento muito grande....

Mas saiu a dizer que não era a doença que a deitava abaixo... Sorridente e bem-disposta!!! ... E convidou-me para jantar!*

* No restaurante que vai abrir, e para levar a esposa também :) ... o que é que estavam a pensar, hem???

Comentários:

Ó pá, ñ estou a ver qm é, mas pela pinta é lá da quinta !  

oops !  
Enviar um comentário

«Inicial

quarta-feira, outubro 12, 2005

o outro lado dos Nobel

Existe muita investigação, na actualidade. Muitos dos investigadores acabam por ser galardoados com vários prémios. O que maior notoriedade tem é o prémio Nobel. Contudo nisto da investigação (como em quase todas as vertentes da vida) nem tudo são rosas (ou investigação útil, por assim dizer). À semelhança dos Nobel também existem os prémois Ignobel. Estes não procuram premiar aqueles que se destacaram pela positiva mas sim a investigação mais inútil do ano. Não existem áreas de atribuição de prémios fixas, este ano houve 10 distinções. Entre elas podemos encontrar:

Ignobel da Biologia: para o estudo em que foram catalogados os odores roduzidos por 131 espécies de sapos;

Ignobel da Nutrição: foi atribuido a um japonês que fotografou e analisou todas as suas refeições dos últimos 34 anos (e continua);

Ignobel da Economia: foi atribuido a um investigador do conseituado Instituto de Tecnologia do Massachusetts, pela invenção de um despertador que toca e foge, com a campainha sempre a tinir (o que obriga a pessoa a levantar-se e a chegar a horas ao emprego);

Ignobel da Medicina: atribuido ao inventor das soluções para os problemas psicológicos para cães casatrados, os neutículos (testículos artificiais de substituição para os cães castrados);

Ignobel da Paz: condecorou dois investigadores da Universidade de Newcastle por monitorizarem um único neurónio de um gafanhoto ... enquanto este assistia à Guerra das Estrelas.


Aqui estão algumas sugestões para os jovens investigadores portugueses, que desejam investigar dentro de portas e não possuem recursos financeiros, de modo a conseguirem atingir o brilhante número de 100 artigos publicados (sim porque todos os premiados pelos Ignobeis foram publicados) e poderem ganhar os prémios atribuidos pelo nosso (des)Governo.

Comentários:

Nao me parece, e mais facil ir ate Felgueiras, dar meia duzia de varinha magicas ao povinho, prometer micro ondas se for eleita, e depois das eleicoes meter uns trocados ao bolso........quais ignobeis qual carapuca isso de fazer investigacao-mesmo que investigacao surreal (ainda gostava de saber o porque da guerra das estrelas ehehehehe)-da muito trabalho,,,demora muito tempo e nem da direito a ferias pagas no Brasil!!!
So uma pergunta, sera que esta tudo maluco em Portugal??? Eleger o Valentao? A Fatinha? E o Tininho de Oeiras? Esses sim sao os verdadeiros Ignobeis!!! Mas sera que a justica em Portugal anda toda ocupada com a casa pia e permite que qualquer projecto mal acabado de pessoa concorra as eleicoes??
Claudia
Ps-Keep the good work  

A do japonês é obra...So aqueles gajso é que têm paciência para tal...

Abraço da Zona Franca  

Heheh ta comico!  
Enviar um comentário

«Inicial

uma epidemia chamada DIABETES

A Diabetes Melitus tipo II (DM II), que era uma doença dos idosos, já afecta adolescentes. Como diz o Professor Sir George Alberti “é uma bomba que está entre nós e assistiremos a um grande aumento dos casos de AVC’s e enfartes. É uma catástrofe prestes a ocorrer”. A DM II e outras doenças crónicas em que um dos principais factores de risco é a obesidade podem levar à diminuição da esperança média de vida. Segundo um artigo do New England Journal of Medicine, se não existisse obesidade já esperaríamos viver mais um ano e nas próximas décadas talvez mais uns 5 ou 6. Mas a parte assustadora é que se a prevenção da obesidade fosse iniciada amanhã, e com 100% de sucesso, ainda teríamos diabéticos suficientes para causar uma epidemia de enfarte, outras doenças cardíacas e cancro. É necessária uma actuação política, urgente, para este caso (e mesmo assim já vem tarde).

Deixo-vos agora alguns números da DM II:

150 milhões de diabéticos no mundo (55 M em 1950; estimam-se 300 M em 2025);
5 M de mortes a nível mundial, devido a diabetes, por ano;
Principal causa de cegueira;
Aumenta em 15 vezes o risco de amputação das pernas.

Comentários:

Desculpe mas...

É diabetes mellitus.

E a notação com nº romanos já foi abandonada. Mais correcto será DM tipo 2 (ou simplesmente DM2).

Obrigado!  

É pá, isto parece conversa de artigo de jornal que sai periodicamente a falar da importância da diabetes. Começas com a diabetes e depois falas da obesidade (outra epidemia). São assuntos importantes que mereciam melhor abordagem. Tudo isto tem que ser enquadrado com o sindrome metabólico (obesidade, colesterol, intolerância à glicose e HTA).
Já agora julgo que em Portugal (sem nunca ter visto um estudo sério sobre o assunto) a principal causa de cegueira é a degenerescência da mácula.  
Enviar um comentário

«Inicial

APRENDAM

- a maior parte das mulheres não atinge o orgasmo com a simples penetração vaginal » apenas 25% das mulheres atingem o orgasmo quando o homem se limita à cópula
- 70 a 80% das mulheres que atingem o orgasmo com facilidade não o atingem sempre
- a maior parte das mulheres atinge mais facilmente o orgasmo através da masturbação do que da penetração vaginal
- elas extraem maior prazer da estimulação das áreas clitoriana e púbica (apenas 2% recorrem à penetração durante a masturbação)
- 75% das mulheres necessitam de estimulação clitoriana adicional, antes ou durante o coito (ver 1º ponto)
"...aos homens que se queixam das incapacidades sexuais das companheiras, porque não as sabem satisfazer, cabe dizer que não há mulheres frígidas... o que há é más línguas."

retirado da Revista da Ordem dos Médicos Set/05

Comentários:

Segundo estes números, é melhor ter cuidado para não ficar com a cabeça mais pesada...
Agora mais a sério. Já era tempo de haver alguns estudos que se preocupassem com a satisfação sexual feminina.  

talvez enviar um mail aos seus amigos nos poupe de ouvir !elas nunca tiveram disso! quando lhes tentamos explicar que devem ter sido uma sorte do raio para terem namorado sempre com a minoria!!  
Enviar um comentário

«Inicial

terça-feira, outubro 11, 2005

Onde andam os doentes? Que médicos vamos ter? Vale a pena Sr. ministro?

No início da minha 4ª, e penúltima, semana do bloco de pediatria queria deixar a história clínica e exame físico que tenho que entregar para poder realizar o exame prontos. Delineei o seguinte plano (3ª feira, já que não tinha qualquer aula, teórica ou pratica):

  • Manhã: junto os dados necessários e se ainda houver tempo faço o exame físico.
  • Tarde: em casa reúno os dados recolhidos durante a manhã, vejo o que falta e na 4ª acabou (ou faço) o exame físico e limo as arestas da história.


3ª feira.
Saio, do metro, na estação mais próxima, olho para o relógio e são 10:15 (hora ideal, até às 11h as enfermeiras estão a tratar dos pequenitos e a visita foi às 8:30). Quando acabo de subir as escadas um enorme aguaceiro abate-se sobre a minha cabeça (e corpo). Não há que desanimar! Chegado ao hospital vou buscar a bata e sigo para as enfermarias. Na 1ª sala estavam duas mães a dormir, com um ar exausto. Na 2ª havia duas crianças nas camas e as respectivas mães ocupadas (ora a falar com duas alunas de enfermagem ora com um aluno em estágio - mais velho, portanto com prioridade). Nos quartos de isolamento não entrei, porque nem sei se é suposto entrarmos lá. Para além disso a azáfama no corredor deveria ser muita tal a quantidade de batas brancas que por ali circulavam. Passo para a outra enfermaria, onde havia algumas crianças a brincar, outras a fazer tratamento e ainda quem dormisse um pouco. Os pais muito ocupados com enfermeiros, médicos ou alunos.
Não resisto e viro costas! Vou tomar um café e dar dois dedos de conversa.
Volto mais tarde (seriam umas 12h) e vejo uma criança que não tinha visto na primeira passagem. Abordo os pais do Rui. (mas este não era, realmente, o meu dia de sorte!) O pai tinha acabado de chegar, do trabalho. Vinha buscar a mãe e levá-la a casa, para umas horas de repouso (que bem precisava). Pede-me desculpa e pergunta se não pode ficar para o dia seguinte. O que fazer???
Vim embora resignado e com a esperança de na 4ª feira conseguir fazer a história. Quer dizer na 4ª vou preparado para ficar durante a tarde ou até quando for preciso.

Só me lembro que há pouco tempo li neste blog que a maior parte das vagas para o internato complementar se encontram na região de Lisboa e vele do Tejo. Porque não Sr. Ministro abrir mais vagas só nas faculdades dessa região? Aí sim, deve haver doentes para todos (médicos, enfermeiros e alunos de medicina e enfermagem). As contas são fáceis de fazer. Actualmente o número de alunos na minha faculdade deve rondar os 1500. No meu ano somos cerca de 200. 200 com mais 200 acima e outros tantos abaixo somos 600 em anos clínicos (aos quais ainda é necessário juntar os alunos de semiótica clínica). Quantos doentes terá o hospital? Quantos desses estão num estado não colaborante (voluntário ou involuntário)? Quem é que lhe vai prestar assistência médica quando necessitar Sr. Ministro? Talvez sejam estes futuros médicos que já não têm um internato para “treinar” e que também não têm doentes para ver (ou será que o Sr. gostaria de repetir a mesma história 3 e 4 vezes ao dia?).


Comentários:

Concordo com o que dizes, acrescento só um ponto...
E que tal ter feito menos um ou 2 estádios pro Euro2004 e ter gasto esse dinheiro a construir mais um ou 2 hospitais nas zonas periféricas as grandes cidades?
Se calhar ia ajudar tudo e todos...Alunos de Medicinca incluidos! ;)
Gostei do blog, vou voltar...  

Osso duro este!

Quatro! Sim! Quatro semanas para fazer uma história?! Juro que não entendo! E ainda se queixa de falta de doentes?!

Sugestões:
Chegue mais cedo!
Procure de forma diligente! As histórias não lhe vão cair no colo.

E o que é isso de história num dia e exame físico no outro? Já agora, o plano terapêutico fica para a semana, não?  

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.  

Cara avicena, graças a Deus que não são muitos os doentes que são internados por dia.
Ainda não sou licenciado. Não tive a hipótese de fazer histórias e exames físicos suficientes para os conseguir aviar como os internos e a maioria dos médicos fazem. Para além disso ainda há aulas teóricas para assistir, práticas para (esperar pelo assitente e só depois)ter, livros para ler e apontamentos e doses terapêuticas para decorar. A maior parte destas coisas vão-se ganhando com a prática e não nascem com as pessoas.

Por incrível que pareça ainda há pessoas que conseguem ver que quem recorre ao hospital são seres humanos e não máquinas. Como ser humanos que são também não suportam ser requisitados por muito tempo e muitas vezes.

Quanto ao chegar mais cedo só se fosse acordar a criança (o que do seu ponto de vista deve ser muito humano) porque como refiro às 8:30 passa a visita médica e depois há a limpeza das salas e o trabalhos de enfermeiros e médicos. A hora em que se deveria estar mais à vontade é por volta das 11h.

Espero que também não seja um dia inquirida por uma dúzia de jovens alunos ou que essa mesma dúzia lhe faça uma manobra médica que considere desagradável (como o Sr Ministro merece).  

Oh osso! Com essa conversa é que não me convence!
Sabe...eu também já fui estudante de Medicina. Pela descrição suponho que esteja no 5º ano do curso. Quando por ele passei (na verdade a Pediatria II era no 6º ano) não era apenas uma história de pediatria que tinha que fazer mas sim 3 histórias (com exame físico incluído, é claro!).

Nas restantes cadeiras clínicas também tive o meu "quinhão" de histórias clínicas (fosse individualmente fosse com o resto da turma) e em circunstância alguma o(s) doente(s) ou familiares foram forçados a colaborar. A situação foi sempre explicada antes de qualquer tipo de abordagem. Devo até dizer-lhe que a grande maioria até fazia questão de falar com os alunos. Aqueles que, por alguma razão, preferiam não ser incomodados ninguém os aborrecia. É claro que se não perguntarmos não sabemos...

Felizmente não são internados muitos doentes diariamente mas creio que o serviço não deve estar vazio, pois não?

Quanto ao chegar mais cedo penso que percebeu a mensagem e não devem ser precisas mais justificações.

Doses terapêuticas...hum...livros para ler...pois!
Talvez das 9h00 às 10h15... no metro!  
Enviar um comentário

«Inicial

domingo, outubro 09, 2005

O auge da República das Bananas (espero eu)!

Não é a primeira vez que tal ocorre. Realmente já se está a tornar num "habitué".
No passado dia 20 de Fevereiro (dia das eleições legislativas antecipadas), o Dr Mário Soares apelou à maioria absoluta do PS, violando assim a lei eleitoral. As concequências deste acto (que podem ir até 6 meses de prisão) não foram conhecidas. Hoje, dia 9 de Outubro (dia de eleições legislativas), este mesmo sr apelou ao voto no seu (tão querido e competente) filho, candidato à câmara de Sintra.
O que fazer com "democratas" assim?
Se calhar o primeiro passo deveria ser retirar as pensões que recebe pelo facto de ter sido presidente da República e primeiro ministro. Depois aplicar o que a lei dita (ainda para mais tratando-se de uma segunda violação da mesma lei, num espaço de um ano). Em terceiro não permitir que este cidadão ocupe cargos políticos no nosso país (impossibilitando deste modo a sua candidatura a PR).


PS: das duas uma ou ele não é democrata (eu não quero acreditar nesta opção) ou então já se encontra em estado avançado de senilidade (há muitos que dizem que não, ...)

Comentários:

Nesta concordo em absoluto contigo. Já só a senilidade pode explicar. E a lei deve ser aplicada, doa a quem doer.  

Camarada:

Por muito que nos custe o Sr Soares de facto já revela sinais claros de demência, e não é só de agora!
No entanto, mais demenciados devem estar os responsáveis do PS que o escolheram como candidato Presidencial. Cavaco saberá por certo agradecer. Mas depois das brilhantes escolhas que os portugueses fizeram nas autárquicas só me resta concluir:

O país tem os políticos que merece!

PS:O Sr Soares só não é preso por compaixão. Mas também deve ser motivo de reflexão: se prenderem o Soares o que fazer ao Alberto João? Tortura lenta? Lavar latrinas em Cuba para o resto da sua vida? Mandá-lo para um longo exílio na República Popular da China? O que quer que se imagine será sempre pouco!  

Isto é o espelho do povo que somos e dos políticos que escolhemos. Se bem que, neste caso, temos que dar novo desconto por causa da idade.  
Enviar um comentário

«Inicial

sábado, outubro 08, 2005

Pela boca morre o peixe

Tem 30 anos bem comidos... Do alto do seu metro e sessenta e cinco, vê o ponteiro da balança (pelo espelho, porque a barriga não o deixa ver os pés) marcar os 150 (sim, kg não lb).
Diz que quase não come e a mãe jura a pés juntos que lhe faz a dieta devida.
Exercício já não pode fazer porque lhe falta o ar. Senta-se de braços abertos porque os "pneus" não os deixam fechar. É assim desde a juventude. Namoradas nunca teve. Abandonou a escola aos 15, farto de ser "o gordo". Veste um fato de treino e uma t-shirt com que tenta esconder a barriga.

Vem à consulta para Cirurgia Bariátrica (a famosa "banda gástrica"). Será talvez a única opção que lhe resta, incapaz que é de seguir um plano alimentar com balanço negativo (ingerir menos do que o que gasta). Mas a avaliação não é nada animadora: tem um ecocardiograma que revela uma fracção de ejecção (relação entre o volume total de sangue no ventrículo esquerdo e o volume de sangue que é "ejectado" em cada batimento cardíaco) de 20%. Isto significa que apenas 20% do sangue que chega ao coração é bombeado de forma eficaz, o que traduz uma insuficiência cardíaca grave. Não tem condições para ser operado... provavelmente não sobreviveria à cirurgia.

E agora, como é que se interrompe o ciclo vicioso? Quanto maior a insuficiência cardíaca, menor a actividade física. Quanto menos actividade mais engorda. Quanto mais engorda, menos funciona o coração. Será que já atingiu o "point of no return"?

Antes de se ir embora, leva um último conselho: Tem de emagrecer. Se acha que come pouco, tem de comer ainda menos. A continuar assim não chega aos 35, e não é possível fazer a cirurgia.

- Pois... - e sorri timidamente, dando a entender que não percebeu a gravidade do seu problema...

Comentários:

Este é um pequeno problema actualmente mas será grande a curto/médio prazo. Portugal é dos países da UE que mais crianças obesas tem. Não faltará muito para não serem discriminados os gordos mas sim os magros (leia-se normais).
Já diz o velho ditado: "é de pequinino que se torce o pepino". Pois é! Também é na infância que as nossas crianças começam a comer mal. Não só comem muito mas também o que não devem (e muito do que não devem). São várias as causas para este problema. A pressão comercial, é uma delas, e a facilidade com que atinge as famílias. Chocolates, bolachas, sumos e coca-colas, leite achocolatado,... tudo é impingido para dentro das nossas casas.
Para alterar o rumo desta história, em que se adivinha um final triste, é necessário tomar medidas. E que medidas é a questão que se impõe? Medidas como as tomadas na Polónia (pelo que li no Público), em que a Coca-Cola retirou os seus refrigerantes das escolas. Controlo da quantidade e qualidade dos anúncios publicitários de alimentos como os chocolates,...(uma percentagem do custo desses anúncio até poderia reverter para o estado, tal e qual como o imposto sobre o tabaco, de modo a ajudar nas despesas dos seus malefícios). A promoção do exercício e do desporto escolar, como forma não só de combater a obesidade mas também de formação de atletas (e até estímulo para o aproveitamento escolar).
Acho que este é um assunto que ainda está virgem, no qual ainda só abordamos as consequências e não a prevenção. Há por isso muito por onde andar dentro do combate à obesidade e a solução não podem ser as bandas gástricas.  

Embora haja pessoas que engordam com mais facilidade que outras não se pode ter dúvidas: os obesos comem demais e não fazem exercício. Quando dizem que já não comem nada eu lembro-me logo que nos campos de concentração não havia gordos (nem sequer "com peso adequado à altura"). A defenição deles de nada é que é diferente dos outros.  
Enviar um comentário

«Inicial

Política (muito) mediocre

Para meu espanto na 4ª feira (5 de Outubro, feriado) de manhã estive algum tempo no trânsito. Mas não era tráfego normal.
Havia fila mas não por serem muitos carros.
Havia barulho das buzinas mas não de protesto pela paragem.
Havia o roncar dos motores.
Havia muitas outras coisas que encontramos no trânsito do dia a dia.
Mas o mais anormal era a alegria que as pessoas tinham empunhando umas quantas bandeiras, que passeavam (nos seus automóveis) pelas ruas da cidade. O seu regozijo em causar poluição sonora, isto para na falar da atmosférica.

Enquanto estava ali parado pensava:
É para isto que pagamos impostos? Ou eles (partidos políticos) compram a gasolina mais barata do que nós (povo)?
Será que eles (políticos) não olham além do seu prórpio umbigo? Não se preocupam com as populações? Com o ambiente?
Será que Portugal ficou preso no século XX? Será que as caravanas são uma boa maneira de mostrar o que um candidato vai fazer?
Porque estão sempre muitas camionetas estacionadas perto dos comícios?


Depois de todas estas questões surgiu-me uma última:

"Sou eu que sou maluco, ou estúpido, ou o dinheiro (para gasolina, camionetas, ...), tempo (de caravanas, ...) e latim (falar para quem já sabe o que vai ouvir,...) da política portuguesa estão a ser mal empregues?"


Hoje quando olho para o jornal vejo esta notícia! (http://jn.sapo.pt/2005/10/07/em_foco/despesas_feitas_campanha_bateram_tod.html)
(não tenho palavras! só me apetece dizer que fico farto de Portugal, da corrupção, do atraso de vida,...)

Comentários:

Julgo que estes números não são reais. Antigamente como havia limites bastante restritos os partidos só declaram uma percentagem do que realmente gastavam nas campanhas. Como nesta os limites aumentaram e o estado paga quase metade (como é que isto é possível??) eles declaram tudo.
Por mim os partidos deveriam gastar o que quisessem, desde qque depois pudessem explicar de onde veo esse dinheiro, mas o estado pagaria apenas cerca de 300€ (este número é discutivel)a cada candidatura que obtesse mais que 1000 votos por exemplo.  

Há anos li um livro, que, apesar dos seus 150 anos (mais coisa menos coisa) se mantém muito actual: A Queda de um Anjo - CCB no seu melhor.

Já então e política portuguesa se traduzia por um provincialismo bacoco com ares de elitismo e dandismo. O desperdício, a corrupção, os interesses, já então minavam a credibilidade dos políticos. E de então para cá, parece que nada foi feito para acabar com isso. Povo de brandos costumes... Volta Zé Povinho e faz um "manguito" a esta corja de ignorantes!!!  
Enviar um comentário

«Inicial

quarta-feira, outubro 05, 2005

O Tabaco mata!!!

Segundo um epidemiologista de Oxford, Sir Richard, um sexto da população mundial morrerá neste século devido a doenças relacionadas com o tabaco (incluindo o cancro), caso não sejam todas medidas radicais que levem as pessoas a deixar de fumar. Já há países em que se tomam algumas medidas. Há cidades (New York, por exemplo) em que é proibido fumar em lugares públicos. E em Portugal o que se faz???
Falou-se na possibilidade de ser proibido fumar em restaurantes e discotecas, mas não passou de uma troca de palavras. O que vemos e sentimos todos os dias é a permição do fumo em espaços fechados. Mesmo nos hospitais qualquer pessoa fuma, incluindo os profissionais de saúde. Estes deveriam assumir as suas responsabilidades e dar o exemplo no combate a esta "epidemia", mas provavelmente serão os primeiros a opôr-se a que a restrição que se encontra nas paredes seja realmente cumprida.

Comentários:

Pus aqui um comentário ontem mas q se passou??? Desapareceu???

Abraço da Zona Franca  

Temos 2 problemas:
-legislação : concordo que todos os establecimentos públicos deveriam ter uma área de não fumadores (com um sistema de ventilação eficiente para não serem incomodados pelo tabaco). Proibir tudo julgo que não é a melhor opção.
-não aplicação da legislação existente: a culpa é de todos nós (e não só dos outros/estado) que não forçamos a aplicação da lei.

Caro osso, julgo que a tua frase não está correcta. As mortes por doenças relacionadas com o tabaco (cardio e cerebrovasculares, neoplasias e dpco, ...) matarão a maioria das pessoas. No entanto 1/6 morrerá porque fumou e viveria mais algum tempo se não fumasse.  

Por exemplo, no Amadora-Sintra, alguns enfermeiros aproveitam uns intervalinhos para ir fumar para a sua saleta. Deixam a porta aberta e o fumo vai todo para os doentes do quarto em frente...  
Enviar um comentário

«Inicial

Para começar não é mau

Já há muito tempo que não se ouve falar em incentivo à ciência. Portugal tem muitos e bons cientistas, mas espalhados pelo globo fora, é importante não só para o bom nome do país mas também a o aumento da qualidade das instituições universitárias portuguesas que essa mão de obra de excelência fique dentro de portas. Para que tal ocorra necessitam de condições quer a nível pessoal e quer investigacional. Assim sendo a notícia do Público (04/10) é boa para começar um projecto com ambição, mas não pode ser um acto isolado nem excepcional (como é referido logo no início).



"Trinta investigadores portugueses vão ser contemplados na próxima semana com o "Estímulo à Excelência", um prémio para financiamento de investigação concedido a título excepcional à instituição onde exercem a sua actividade.
Segundo a Fundação para a Ciência e Tecnologia, a atribuição do "Estímulo à Excelência" resulta num financiamento de cinco mil euros por ano, durante dois anos, e destina-se a actividades de investigação e divulgação científicas.O prémio pode ser renovado por mais dois anos, face à avaliação da produtividade científica dos últimos cinco anos, acrescenta a fundação.O objectivo é distinguir investigadores residentes em Portugal que prosseguem pelo menos há cinco anos uma carreira profissional de investigação científica e tecnológica e que possuem curriculum vitae de excepcional mérito no respectivo domínio de investigação.Para se candidatarem, os investigadores tinham que ter publicados 100 artigos em revistas internacionais e 500 citações referenciadas no Science Citation Index, da ISI Web of Knowledge, ou supervisionado dez doutoramentos concluídos com êxito e publicado 50 artigos em revistas internacionais e 250 citações referenciadas.A distinção, a ser atribuída na próxima semana pela Fundação para a Ciência e Tecnologia, pretende evidenciar investigadores portugueses, cuja produtividade se encontra ao nível dos padrões internacionais, e projectar a figura do investigador na sociedade."
(in Público online, 04/10)

Comentários:

Concordo com os prémios para os excelentes e até concordo com os critérios.
Acho que no entanto, Portugal sendo um país pobre deveria dar prioridade à investigação com eventual aplicação comercial (o que poderia ser em qualquer área), nomeadamente à investigação para responder a problemas concretos de empresas. A investigação básica é muito bonita, é importante para o desenvolvimento futuro do conhecimento, mas é um luxo e inflizmente é aquela que maioritariamente se faz em Portugal.  

Não posso concordar contigo...

Acho que um dos grandes problemas do desenvolvimento em Portugal é precisamente considerar-se que a investigação científica é um luxo... A investigação básica é em si própria uma fonte de desenvolvimento (não só económico...), que tem sido a base da prosperidade de alguns países europeus e dos EUA. A investigação tecnológica é de facto importante, mas toda ela é baseada em princípios de investigação básica e é, geralmente realizada em centros de investigação próximos dos centros que fizeram a "descoberta" inicial  

Ola!
Acabei de descobrir o teu blog, achei a historia do rapaz obeso um pouco triste..sera que nao ha nada mais a fazer por ele???
Mas nao foi essa historia que me levou a deixar um comentario, foi essa noticia do publico. tive conhecimento desse premio ha um ano atras... na altura ri-me da situacao ridicula e ate pensei que o premio tivesse terminado, acho que e uma vergonha. Mas passo a explicar, ora para alguem ter direito a "fortuna de 5 mil euros" que na melhor das hipoteses da para comprar um punhado de reagentes que serao gastos num mes.....deve ter 100 artigos.....ou 50 e dado formacao a 10 alunos.....bem para quem e um leigo na materia eu passo a explicar.....na melhor das hipoteses, um group leader, que tenha 10 pessoas a trabalhar para si...e num cenario totalmente irrealista, consegue 10 publicacoes por ano, ora para conseguir as tais 100 publicacoes demora 10 anos.....claro que se tem 10 pessoas a trabalhar para si tem de ter ja um CV invejavel e deve ter meios para em alguns casos pagar a essas pessoas...ou seja trata-se uma uma pessoa cujo trabalho ja seja conceituado.....e tenha uma certa idade....voces acham que essa pessoa esta a espera desses miseros 5 mil euros para trabalhar??? So podem estar a gozar concerteza......Um jovem cientista jamais tera esse numero de publicacoes......logo o que tu intitulas com um incentivo para o retorno dos jovens cientistas a Portugal, sim isso e o que a maior parte de nos queremos, nao passa de uma utopia.......esse premio e uma anedota!!! Um erro lamentavel da FCT.
Contudo nao gostaria de deixar uma imagem de todo negativa, a FCT e a nivel europeu a que da melhores bolsas para investigacao no estrangeiro e esse sim e o seu verdadeiro incentivo......infelizmente depois nao ajuda a rentabilizar o dinheiro investido.......
Claudia,
A fazer investigacao algures fora de Portugal ....  
Enviar um comentário

«Inicial

terça-feira, outubro 04, 2005

Nobel atrasado

Finalmente devem dizer os dois cientistas (Barry G. Marshall e J. Robin Warren) que descobriram em 1982 a helicobacter pylori.
Apenas 23 anos depois, numa altura em que até alguns portugueses sabem quais as consequências (patologias que provoca) desta bactéria, estes dois australianos recebem o prémio Nobel. 23 anos é muito tempo.
Eu pensava que era só o nosso país que era atrasado.

Comentários:

bom....mais vale tarde do que nunca. De qualquer das formas há sempre o Nobel da física anunciado hoje e esse, honestamente, tenho as mais sinceras dúvidas de que haja muita gentea fazer a mínima ideia do que é e qual a revolução que ele causou.  

Ja se sabe como é... so passado muito tempo é que na maioria dos casos as pessoas sao reconhecidas pela sua dedicacão a uma ciencia...  
Enviar um comentário

«Inicial