domingo, dezembro 19, 2004

Só sei que nada sei...

Talvez um dos aforismos mais conhecidos de todo o mundo. Diz-se que Sócrates, na antiga Grécia, terá proferido estas palavras... "Só sei que nada sei".

E nunca elas foram tão consistentes com a realidade actual. Infelizmente, este Sócrates, o de agora, ainda não se apercebeu que, de facto não sabe nada. Ele não tem ideias, ele não tem projectos, ele não tem carisma, ele não tem um plano, ele não tem um sonho, ele não tem um ideal, ele não tem crítica. Vagueia num deserto de ideias e frases feitas: a vitimização, a instabilidade política, estagnação económica, corporativismo, etc., etc., etc. Agora ideias, argumentos sólidos e consistentes, números, inteligência, visão e ideias... é o que se vê (ou melhor, o que se não vê...).

Sócrates (o da Grécia antiga) envenenou-se com cicuta... A outros, temos que lhes aturar o desplante... e temos que fazer de conta que não nos lembramos dos 6 anos de guterrismo, de cinzentismo político, de falta de projectos, de falta de coragem...

Comentários:

FOME e VONTADE DE COMER vão às urnas em fevereiro. E ?  

Sim. Cabe-nos a nós escolher entre cinzento escuro ou conzento claro...  

Segundo reza a história/lenda os antigos foram perguntar ao oráculo de Delfos quem era o homem mais inteligente no mundo e a resposta foi Sócrates. Este, que passava a vida a discutir todos os assuntos (politica, filosofia, ciência, ...) na praça pública, quando foi confrontado com este facto mostrou-se humilde dizendo "Só sei que nada sei" o que, para além de permitir inferir que só quem tem uma visão geral da vida compreende toda a sua própria ignorância, tb o ajudava a evitar excesso de protagonismo para evitar conflitos com as autoridades locais (que mais tarde o prenderam por este desencaminhar a juventude ateniense com ideias revolucionárias levando ao seu suicídio).  
Enviar um comentário

«Inicial