quarta-feira, fevereiro 02, 2005

Chegada a Lamego

Lamego, 5 de Janeiro

Primeiro dia de trabalho no Hospital de Lamego . Depois uns (bastantes) anos pela Faculdade de Medicina/Hospital de S. João, com o curso (finalmente) acabado, houve a necessidade de escolha do sítio para onde ir fazer o Internato Geral/Ano Comum/estágio/escravatura (whatever). Premissas para a escolha? Longe de um Hospital Central e perto do Porto.

Longe de um Hospital Central porque:
  1. Estou farto de hospitais mega/giga/tera grandes. Não estou gordo para ter de fazer km e km dentro de um edifício diariamente. (medman, peq indirecta).
  2. Quis ir para um sítio onde de facto fizesse falta, não sendo apenas mais um.
  3. Um sítio onde pudesse acompanhar os doentes, onde os doentes interessantes não fossem logo para sub-especialidades, para sobrar para a Medicina Interna apenas os cacos (que também têm direito a médico, e deviam ter direito a uma especialidade só sua, Geriatria, mas isso é tema para um post by it self)
  4. Onde não houvesse Sr. Prof. que esperam que a gente lhes lamba o **** todos os dias (pelo menos os dias em que se digam em lá pôr os cotos - mais um post)
  5. Onde me sinta parte integrante de uma equipa.

Perto do Porto, porque sim, porque tenho aqui os meus amigos, a minha vida, o meu computador, os meus locais de lazer.

Daí que as minhas escolhas foram os Hospitais Distritais à volta do Porto, a uma distância suficiente para poder vir jantar ao Porto sempre que me apeteça. Quis a minha média e as escolhas dos outros que ficasse em Lamego. Ainda bem, a escolha seguinta era a Horta. Adeus jantares no Porto. A não ser que algum dos meus amigos políticos me dessem acesso ao Falcon do Governo.

Lamego é uma cidade fabulosa, com uma população simpatiquíssima, com uma gastronomia fabulosa, a 1h15/1h30 do Porto (A24-IP4-A4).

Primeiras impressões.

Dia 28 fui ao Hospital perguntar em que dia me devia apresentar ao serviço, onde, quando me precisaria de preocupar com o contrato, que papeis devia levar, essas coisas. Fui imediatamente recebido pelo Director do Hospital! Boas vindas, de onde era, apresentação do hospital e de como funcionavam as coisas, se precisava de ajuda com alojamento e afins.

Dia 3 fomos (eu e as 3 colegas que lá foram colocadas também) recebidos novamente pelo Director, desta feita com umas boas vindas mais formais, e pelo Director de Internato que nos esteve a mostrar o Hospital, Centro de Saúde, Lamego no seu geral (touring guide) e tratámos das rotações. Comecei por Medicina, tutorado pelo Dr. Calhau!

O Hospital de Lamego funciona num edifício com 120 anos. O serviço onde estou, Medicina, teve obras de remodelação recentemente, pelo que as enfermarias têm muito boas condições. O mesmo não se pode dizer do Serviço de Urgência. O bloco operatório mete inveja aos nossos (ainda digo nossos!) do S. João. Espaçoso e bem equipado.

Recursos humanos. O serviço onde estou, medicina, tem 60 camas entre homens e mulheres (cá ainda não chegaram os indefinidos), 24h de Urgência, consultas e apoio aos outros serviços para 4 Internistas! Trabalha-se duro. O quadro são 8, e espera-se que durante este ano apareçam 2 novas almas. Let's see. A malta de enfermagem é nova, entusiasmada, dedicada e competente. Boa gente.

Métodos Auxiliares de Diagnóstico. Aqui é que a porca torce o rabo. Ou não. Por exemplo, não temos TAC. Mas enviamos o doente fora, a uma clínica convencionada, acompanhado de um enfermeiro e/ou médico se necessários. Pede-se de manhã, faz-se à tarde, relatório por fax ao fim da tarde, imagens dia seguinte de manhã. Lembro-me do HSJ em que se tinha de ir pessoalmente pedinchar por um TAC cerebral aos neurorradiologistas, que nos faziam 3 dias depois, por favor. Hemograma e BioQ na hora (24h/dia). Imunologia segue para o Hospital de Viseu. Parece que as coisas funcionam.

Surpresa. Até na cantina do Hospital se come bem. Prato do dia - Caldeirada de cabrito - 2,6€ :)

Isto comparado com o feedback dos meus colegas do Porto...

Comentários:

E se quiseres comer ainda melhor dá um salto a Viseu num fim de semana e eu levo-te lá a bons restaurantes. Fico feliz por aparentemente as coisas funcionarem bem, no teu hospital e já estou à espera dos outros 2 posts.  

Parabéns e bem-vindo. Quanto à indirecta, olha que os km percorridos estão a ter os seus efeitos.

Ainda bem que as coisas estão a correr bem por aí... E de facto é diferente estar longe de um hospital central... com tudo de bom e de mau que isso traz!

Espero pelos próximos posts...  

Tiveste sorte em seres recebido pelo Director.
Tiveste sorte em teres escolhido um distrital médio, porque se fosse um distrital grande (Braga, Guimarães, Vila Real, etc) as vantagens eram desvantagens (simbiose dos defeitos dos grandes com as insuficiências dos pequenos, e mesmo sem Profs, há-os).
Tiveste sorte em ir para Lamego, que por acaso é a terra que me viu nascer.
Mas já agora permite-me que que conte uma história que vivi em janeiro de 1977, quando como tu cheguei a um distrital, o de V N Famalicão.
Fomos extraordináriamente recebidos por um senhor muito simpático, de cabelos grisalhos, que nos mostrou o hospital, etc, etc.
No dia seguinte descobrimos que esse senhor não era o director de nada, mas um simpático (e oportunista)DIM  

Gosto do pormenor dos "uns (bastantes) anos na Faculdade"...
Estiveste lá mto tempo, foi?
E viva o dr. Calhau...

http://www.zonafranca.blogspot.com/  
Enviar um comentário

«Inicial