domingo, novembro 13, 2005

Um caso que vale a pena investigar....

Segundo os peritos trata-se de um caso muito invulgar. Um indivíduo, actualmente com 25 anos, que há 14 meses descobriu ser seropositivo não apresenta vestígios do vírus do HIV. Isto ocorreu em London e trata-se do primeiro caso bem documentado (e esperemos que venha a ser estudado), já que relatos de situações semelhantes ocorridas em África já haviam sido ouvidos pelo mundo fora. No entanto o que distingue este caso de tantos outros? As amostras sanguíneas deste jovem não foram trocadas, nem houve qualquer erro nos testes (ao que parece).

Mas será que este super-homem tem alguma coisa de diferente no seu sistema imunitário? Poderemos evoluir para uma vacina contra o HIV?

Comentários:

É bom mantermos a esperança de encontrar uma vacina contra o HIV, mas bolas! Algum dos testes deve estar "engatado". Devíamos ser um pouco realistas, também.  

Custa-me a crer que num país como a Inglaterra um médico se dirija a um doente e lhe diga que está curado, de uma doença sem tratamento conhecido, sem confiança absoluta no que lhe vai dizer. Acho que estamos mesmo perante o primeiro caso bem documentado de uma derrota do HIV.  

pode ser um erro do 1º exame... Não do segundo  

eu concordo que obter-se o mesmo erro duas vezes é muito estranho. esperemos que seja mesmo assim e que seja possível estudar o caso pois este flagelo precisa de ter uma solução. e contamos com a medicina para isso. já que as pessoas não têm os devidos cuidados na prevenção há que poder dar-lhes alguma qualidade de vida após o diagnóstico da doença.  

o problema é que o erro não acontece 2 vezes... o primeiro exame é mais abrangente e dá muitos falsos positivos (ou seja), a pessoas q não têm doença dá positivo. Por outro lado, o 2º teste já tem uma percentagem quase negligenciável de falsos positivos... mas o que é negligenciável não quer dizer que não exista. O senhor pode ser uma raridade em que ambos os testes deram positivo.
Ou então, acreditamos num futuro melhor e que ele se curou mesmo. Faço figas.  

Lamento mas cheira a engano, embuste, erro...o que quiserem.

Lembro que Inglaterra não está imune a enganos. Não foi ali que durante meses um individu simulou uma amnésia inexistente para se promover como pianista?  

Parabéns pelo blogue. Encontrei-o hoje e vou voltar.  

Que existem humanos que apresentam uma mutação que os torna resistentes ao HIV, é já sabido. Agora este caso é um tanto ou quanto estranho...! Resta esperar que não tenha havido erro algum, que já tarda uma luzinha ao fundo do túnel.  

Esse está lixado. Já não sai inteiro do hospital. Vão cortá-los às postas até encontrar tão distinto milagre. E no fim vão perceber que afinal tinham trocado os sangues no lab. Deus esteja contigo meu irmão. A cura há-de chegar, mas de África.  

Para além da opinião macacoide de king kong, devo dizer que na literatura médica idónea, há casos comprovados de cura espontânea de tumores malignos, e até de benignização de tumores, sobretudo em crianças e em tumores do sistema nervoso.
Não custa a crer que também excepcionalmente ocorra um fenómeno destes num caso de sida.
It's imonology, stupid!  

imonology escreve-se imunology. STUPID.

PS: É interessante ver como as pessoas incapazes de ter o mais pálido sentido de humor se escondem atrás do anonimato para ofender.  

Curioso. A ciência a vacilar? Sobrenatural? Milagre??????  

Para que conste é:

immunology!  
Enviar um comentário

«Inicial