terça-feira, fevereiro 22, 2005

As gémeas...

... eram três. E ficaram todas doentes ao mesmo tempo. Traziam um "acompanhante" cada uma, mas só a mãe, sabia da história toda. Era vê-la a correr de gabinete para gabinete, com um quadro na mão, a consultar os sintomas de cada uma.

A Maria teve febre às 09 e às 12; a Joana às 10h e a Inês às 09.30h e às 14h. A Maria tinha uma gastrenterite, a Joana uma amigdalite e a Inês uma otite... provavelmente manifestações diferentes do mesmo "bicho".

Tinham 6 meses, até então saudáveis. Nascidas de um desses milagres da medicina, a fertilização in vitro. À segunda tentativa. Da primeira, falharam os 3 implantes. À segunda resultaram os 3. E a mãe, que desejava um filho, acabou por ter o prazer em triplicado... e o trabalho também.

A mãe, enquanto media a febre a uma, dava água à outra e acarinhava a terceira, ainda tinha tempo para sorrir... e para agradecer o atendimento que teve!
Às vezes vale a pena estar de Urgência... :)

Comentários:

:-)  

Lindo!!  

:) :D :D  

Espero que lhe tenham avisado que deveria lavar as mãos entre cada contacto com um dos filhos doentes. Mas que é uma imagem bonita da maternidade é. E o pai? (é ausente ou foi mais uma vez esquecido na história)  

Nem ausente, nem esquecido... apenas tinha, digamos que, uma personalidade apagada...  

Essa do pai apagado... nos gemeos a relaçao do pai com os filhos tende a ser mais forte porque ele tem mesmo de meter as maos na massa. Estranho...  
Enviar um comentário

«Inicial